AO VIVO: 
3710-4949     9978-7885

24/04/2013 - Atualizado em 24/04/2013 14:52
3ª CRE contesta informações cedidas pelo Cpers acerca da paralisação
(Foto: Christian Ely)

A coordenadora da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), Marisa Bastos e a professora Sandra Ahlert, que compõe a entidade, contestam informações cedidas pela diretora do 8º núcleo do Cpers, Luzia Herrmann, em entrevista à Rádio Independente na manhã desta quarta-feira. Equipamentos e o ensino politécnico pautam as declarações.

As representantes da 3ª CRE contestam as causas apontadas para a mobilização realizada hoje. Entendem que o movimento é legítimo, e que os professores e funcionários tem direito de participar da passeata, mas falam que há equívoco na fala de Luzia.

A manutenção dos equipamentos da Escola Érico Veríssimo, que estariam em péssimas condições, segundo Luzia, receberia recursos mensais, através da autonomia financeira. Marisa relata que há insumos para atender a demanda. Afirma ainda que a coordenadoria aplicará melhorias na unidade escolar.

O segundo grau politécnico, apontado pela diretora como fator de descontentamento dos alunos, é discutido por Sandra. Declara que ''o conjunto de trabalho foi apresentado a todos professores e alunos''. Acredita que ''o acréscimo de cinco horas na rotina escolar não é suficiente para motivar os educandos a participar da manifestação''.

Vinte e uma escolas estão paralisadas nesta quarta-feira. Das 90 atendidas pela 3ª CRE, somente quatro interromperam as atividades durante os três dias de protestos. As aulas devem ser retomadas na próxima sexta-feira (26). NR

Ouça a entrevista cedida por Luzia ao programa Acorda Rio Grande.

 

veja também

 

Escreva seu comentário
Aceito os termos e condiçães         Exibir meu email         Exibir meu nome
Enviar